W
NW
N
N
NE
W
the Degree Confluence Project
E
SW
S
S
SE
E

Brazil : Mato Grosso

2.6 km (1.6 miles) NE of Conceição, Mato Grosso, Brazil
Approx. altitude: 233 m (764 ft)
([?] maps: Google MapQuest Multimap world confnav)
Antipode: 15°N 122°E

Accuracy: 7 m (22 ft)
Click on any of the images for the full-sized picture.

#2: North view #3: South view #4: East view #5: West view #6: GPS photo #7: We did it! #8: Confluence's neighborhoods

  { Main | Search | Countries | Information | Member Page | Random }

  15°S 58°W  

#1: Confluence spot

(visited by Natalia Arantes and Fernando Martins)

English version

26-May-2010 --

A ideia de marcar uma confluência surgiu por causa de uma viagem de negócio ao estado do Mato Grosso. Por curiosidade investigamos se havia alguma confluência incompleta na região, próximo a cidade de Mirassol d’Oeste , no estado do Mato Grosso. À 70 km havia uma confluência ainda não visitada, a 15°S 58°W. Logo que investigamos pudemos constatar que seria possível chegar bem próximo do ponto por uma estrada de terra de uma fazenda.

Na cidade de Mirassol consultamos algumas pessoas para descobrirmos quem era o proprietário da fazenda para que pudéssemos fazer contato, apresentar o projeto e solicitar autorização para a visita. Graças à ajuda do Sr. Eneas descobrimos a quem pertencia a fazenda. Ele gentilmente ligou para o proprietário e avisou que estaríamos visitando a propriedade a fim de marcarmos uma confluência que havia ali.

Saímos de Mirassol d’Oeste às 7 horas da manhã do dia 26 de maio de 2010 com destino à Cuiabá, onde teríamos que chegar as 15 horas para um compromisso profissional. Portanto teríamos exatamente 8 horas para chegar à confluência e cumprirmos nosso compromisso. Logo na saída erramos e seguimos para a cidade de São Jose dos Quatro Marcos, onde paramos para perguntar e constatamos que estávamos indo na direção errada. Voltamos à Mirassol e pegamos a estrada até a cidade de Curvelândia, em uma bela manhã de outono no Mato Grosso. Havia chovido muito na noite anterior e faziam maravilhosos 18°C, uma temperatura relativamente baixa para a região.

Com um mapa detalhado da região, descobrimos que a estrada MT 339 passaria pela entrada da fazenda que daria acesso à confluência. Pelo Google Earth pudemos traçar o caminho até a entrada da fazenda e o caminho por dentro da propriedade. A estrada MT 339 é uma estrada de terra que, se não fosse pela chuva da noite anterior, provavelmente não estaria transitável num carro comum. Depois de 100km cruzando apenas com um motoqueiro, chegamos a uma estrada secundária que, após 12km, levaria à entrada da fazenda. A estrada secundária já apresentou condições bem mais precárias que a da estrada principal. Havia muitas curvas de níveis que após cada transposição sempre apresentava surpresas: grandes poças de lamas da chuva da noite anterior cobrindo grandes buracos.

Enquanto nos aproximávamos da porteira percebemos que a mesma estava trancada por um cadeado, mas para nossa alegria e surpresa, sentada a beira da estrada, encontrava-se uma senhora prestativa que levantou-se lentamente e, com um sorriso amigável, abriu o cadeado e nos desejou um bom dia, sem fazer perguntas. Entramos na propriedade e, ao invés de seguirmos em direção à sede principal, a direita, seguimos para a esquerda, para onde o GPS indicava que estávamos a menos de 10km do ponto 15S58W. Aproximadamente 500 metros adiante encontramos com algumas crianças de mochila, aguardando. Mais 400 metros e descobrimos que elas aguardavam o ônibus escolar, que vinha sacolejando pela esburacada estrada de terra.

Após mais uma porteira, seguimos por uma estrada ainda pior, usada apenas por tratores e, após 3km atingimos a latitude sul 15°00’000”. Já poderíamos descer e seguir a pé, mas estávamos no meio de um pasto com centenas de bois da raça Nelore, raça esta famosa por sua agressividade, principalmente quanto estão em rebanho. Portanto, decidimos arriscar a integridade do carro e seguir mais adiante pela estrada, tentando nos aproximar mais do ponto. Mais uma vez a sorte estava do nosso lado. Achamos uma estrada ainda menor, provavelmente pouco utilizada, que levou a um pasto vazio. Esta estrada parecia seguir em linha reta ao ponto 15S58W. Andamos por mais 2.850 metros pelo paralelo 15S e então a estrada estava a 50 metros do ponto. Descemos do carro e andamos pelo pasto de grama alta até o ponto. Ali ele estava, no meio do nada, com uma árvore próxima para tornar o lugar mais bonito. Conseguimos! Tiramos as fotos necessárias e estávamos apenas curtindo estar ali quando ouvimos o chocalho de uma cascavel. Decidimos que este era o sinal de que estava na hora de ir embora, a aventura estava para acabar.

Voltamos para o carro e fizemos o caminho contrário. A simpática senhora veio abrir a porteira da fazenda, de novo sem fazer perguntas. Seguimos por mais 100km de estrada de terra até a cidade de Barra do Bugre. Finalmente pegamos uma estrada asfaltada em direção à Cuiabá, onde às 15h estávamos embarcando para dar continuidade a viagem de negócios.

English version

26-May -2010 --

The idea of marking a confluence came because of a business trip to the state of Mato Grosso. Out of curiosity, we investigated whether there was an incomplete confluence near the town of Mirassol d'Oeste, in Mato Grosso. At 70 km there was a confluence not visited yet, the 15°S 58°W. After we investigated, we saw that it was possible to get very close to this point by a dirt road in a farm.

In the city of Mirassol, we referred to some people to find out who owned the farm so we could make contact, present the project and seek authorization for the visit. Thanks to the help of Mr. Eneas, we discovered who owned the farm. He kindly called the owner and let him know that we were visiting the property in order to mark a confluence that were there.

We left Mirassol d'Oeste at 7am o'clock in the morning of May 26, 2010 bound for Cuiabá, where we should be at 3pm for a professional meeting. So we would have exactly eight hours to reach the confluence and fulfill our commitment. We started going to the wrong way and headed to the city of Sao Jose dos Quatro Marcos, where we stopped to ask for information and found out we were going the wrong way. We returned to Mirassol and took the road to the city of Curvelândia in a beautiful autumn morning in Mato Grosso. It had rained a lot the night before and it was wonderful 18°C, a relatively low temperature for the region.

With a more detailed map of the region, we found out that the road MT 339 pass the entrance of the farm that would give access to the confluence. At Google Earth we traced the path to the entrance of the farm and the road inside the property. The highway MT 339 is a dirt road which, if not for the rain of the night before, probably would not be passable in an ordinary car. After 100km, crossing just one biker, we found a secondary road that, after 12km, would lead to the entrance of the farm. The secondary road conditions have made far more precarious than the main one. There were many curves levels which after each transposition always had surprises: large pools of mud from the rain of the night before covering large holes.

As we approached to the gate of the farm we realized that it was locked by a padlock, but to our surprise and joy, sitting by the road, was a helpful lady who stood up slowly and, with a friendly smile, opened the padlock and wished us a good day, no questions asked. We enter the property and instead of following towards the main office, to the right, we followed to the left, where the GPS indicated we were less than 10km from the point 15S58W. About 500 meters away we found some kids with backpacks, waiting. We drove more 400 meters, and found that they were waiting for the school bus, which had been rattled by the rutted dirt road.

After passing another gate, we found an even worse road, used only by tractors and, after 3km we reached the south latitude 15 ° 00'000 ". We could have come down and continue on foot, but we were in the middle of a pasture with hundreds of Nelore cattle, this breed known for his aggressiveness, especially as they were in the herd. Therefore, we decided to risk the integrity of the car and then later down the road, trying to get closer to the point. Once again luck was on our side. We found a road, even smaller than the last one, probably not often used, which led to an empty pasture. The road seemed to go straight to the point 15S58W. We drove for over 2850 meters by the parallel 15S and then the road was 50 meters from the point. We got off the car and walked across the pasture of tall grass until the point. There he was, in the middle of nowhere, with a nearby tree to make the most beautiful place. We did it! We took some pictures and we were just enjoying being there when we heard the rattle of a rattlesnake. We decided that this was the sign that it was time to go, the adventure was about to end.

We returned to the car and made the other way around. The nice lady came to open the gate of the farm, again no questions asked. We followed further 100km by the dirt road to the city of Barra do Bugre. Finally got a paved road towards Cuiabá, where at 3pm we were embarking to continue the business trip.


 All pictures
#1: Confluence spot
#2: North view
#3: South view
#4: East view
#5: West view
#6: GPS photo
#7: We did it!
#8: Confluence's neighborhoods
ALL: All pictures on one page (broadband access recommended)