W
NW
N
N
NE
W
the Degree Confluence Project
E
SW
S
S
SE
E

Brazil : Goiás

18.0 km (11.2 miles) SE of São Miguel, Goiás, Brazil
Approx. altitude: 856 m (2808 ft)
([?] maps: Google MapQuest OpenStreeMap ConfluenceNavigator)
Antipode: 17°N 132°E

Accuracy: 5 m (16 ft)
Quality: good

Click on any of the images for the full-sized picture.

#2: GPS #3: Visão norte - north view #4: Visão leste - east view #5: Visão sul - south view #6: Visão oeste - west view #7: Trecho em estrada de terra - leg in dirt road #8: Confluência 520 metros adiante - confluence 520 meters ahead #9: Interessante imagem capturada no caminho - interesting image captured in the way

  { Main | Search | Countries | Information | Member Page | Random }

  17°S 48°W (visit #2)  

#1: Visão geral - general view

(visited by José Eduardo Guimarães Medeiros)

English

16-Sep-2018 -- Em setembro de 2018, eu fiz mais uma viagem a trabalho para Brasília. Meus compromissos profissionais seriam de segunda-feira, dia 17, até quarta-feira, dia 19. Porém, para poder ter um dia livre para visitar uma confluência, eu viajei um dia antes.

Geralmente, quando eu dedico um dia inteiro a visitas a confluências, eu planejo visitar dois ou três pontos. Porém, devido às várias confluências que já visitei nos arredores de Brasília, em viagens anteriores, as que ainda restam são relativamente distantes. Por causa disso, eu planejei para o domingo a visita a apenas uma confluência.

A primeira das viagens que fiz a Brasília e que eu aproveitei para visitar uma confluência foi em agosto de 2009. Naquela ocasião, eu visitei a confluência 16S 48W, a única localizada dentro do Distrito Federal. Uma particularidade interessante dessa visita é que, dentre todas as confluências que já visitei até hoje, ela é a única em que eu utilizei o ônibus como meio de transporte.

Em todas as minhas 125 visitas, com exceção de quatro, eu me aproximei do ponto dirigindo um carro próprio ou alugado. Uma das quatro exceções é a citada 16S 48W. As outras três, em que diferentes meios de transporte foram utilizados, são a 3S 60W, dentro da cidade de Manaus, que eu visitei de táxi, e as confluências europeias 49N 3E, na França, e 46N 13E, na Itália, nas quais eu utilizei o trem.

A segunda viagem a Brasília aconteceu em março de 2014, quatro anos e meio depois, na qual eu aluguei um carro e visitei duas confluências, a 16S 47W, em Minas Gerais, e a 15S 47W, em Goiás.

A terceira viagem aconteceu em maio de 2016, dois anos depois, na qual eu novamente aluguei um carro e visitei a confluência 17S 47W, em Minas Gerais. Esta foi a confluência de número 100 de todo o meu histórico de confluências. Nesta mesma viagem, eu tentei visitar também a confluência 17S 48W, que estou visitando agora, mas não houve tempo suficiente.

Finalmente, agora, em minha quarta viagem a Brasília, dois anos depois, eu visito mais uma confluência.

Ainda há outras confluências nos arredores da capital federal a serem visitadas em possíveis viagens futuras. Porém, como naturalmente ocorre, as que ainda restam vão se tornando cada vez mais distantes. Tomando o Distrito Federal como referência, temos uma confluência dentro dele e outras oito ao seu redor, na direção dos oito pontos cardeais e colaterais (norte, sul, leste, oeste, nordeste, sudeste, noroeste e sudoeste), totalizando nove confluências acessíveis em viagens de apenas um dia.

Dessas nove confluências próximas, cinco foram visitadas nas viagens acima citadas: a que se localiza dentro do Distrito Federal e as que se localizam a leste, a nordeste, a sudeste e ao sul.

Existe, no entanto, uma outra confluência já visitada: a 17S 49W, que fica a sudoeste do Distrito Federal. Esta confluência não foi citada anteriormente porque eu a visitei não em uma viagem a Brasília, mas sim em uma viagem a Goiânia. A proximidade entre essas duas capitais brasileiras faz com que suas confluências próximas se sobreponham.

Das nove confluências próximas a Brasília, portanto, seis já foram visitadas. As três restantes se localizam ao norte, a oeste e a noroeste do Distrito Federal.

Voltando à narrativa da visita atual, peguei um avião em Marabá na madrugada de sábado para domingo e cheguei à capital federal por volta das 6h30min. Tomei um café da manhã, aluguei um carro e fui direto para a confluência 17S 48W.

Peguei a BR-040, segui viagem rumo ao sul, entrei no estado de Goiás e, após cerca de 130 quilômetros, cheguei à cidade de Cristalina, onde parei para comprar água. Peguei então a BR-050, segui mais algumas dezenas de quilômetros, virei à direita e iniciei o longo trecho de 39 quilômetros em estrada de terra, em direção ao povoado de Buritizinho.

A estrada de terra estava em boas condições, e sem grandes dificuldades venci essa distância, que incluiu a travessia de uma ponte sobre o rio Corumbá. Parei o carro a 520 metros do ponto exato. Atravessei uma cerca de arame farpado, entrei em uma área de mato baixo, fácil de caminhar, venci os metros finais e zerei o GPS.

Fiz todo o caminho de volta e parei novamente em Cristalina, desta vez para tomar um lanche, em substituição ao almoço. Segui viagem de volta para Brasília, devolvi o carro e peguei um táxi até o hotel. Passei o resto da tarde e a noite descansando da noite mal dormida e das longas horas de viagem.

Passei os três dias seguintes em Brasília e, na noite do dia 19, quarta-feira, voltei para Marabá.

English

In September 2018, I made one more business travel to Brasília. My professional duties would be from Monday 17th to Wednesday 19th. However, in order to have a free day to visit a confluence, I travelled one day before.

Generally, when I spend a whole day visiting confluences, I plan to visit two or three points. However, due to several visited confluences in Brasília surroundings, in previous trips, the remaining ones are relatively far. Then, I planned for the Sunday only one confluence visit.

My first trip to Brasília that I enjoyed to visit a confluence was in August 2009. In that opportunity, I visited the 16S 48W confluence, the only one located inside Federal District. One interesting particularity of this visit is that it is the only out of all that I visited until now that I utilized the bus as the mean of transportation.

In all my 125 visits, excepting four, I approximated to the point driving my own car or a rented one. One of four exceptions is the cited 16S 48W. The other three, in that different means of transportation was utilized, are 3S 60W, inside Manaus city, which I visited by taxi, and the European confluences 49N 3E, in France, and 46N 13E, in Italy, which I utilized the train.

The second trip to Brasília happened in March 2014, four years later, in that I rented a car and visited two confluences, the 16S 47W, in Minas Gerais state, and the 15S 47W, in Goiás state.

The third trip happened in May 2016, two years later, in that I rented a car again and visited the 17S 47W confluence, in Minas Gerais. This was the confluence number 100 of my confluence history. In this same trip, I attempted to visit the 17S 48W confluence, which I visited now, but there wasn’t enough time.

Finally, now, in my forth trip to Brasília, two years after, I visit one more confluence.

There are yet other confluences in Brazil’s capital surroundings, to be visited in possible future trips. However, as naturally occurs, the remaining ones are more and more far. Considering Federal District as reference, we have one confluence inside it and other eight around it, in the eight cardinal and collateral directions (north, south, east, west, northeast, southeast, northwest and southwest), totalizing nine confluences accessible in one day’s trips.

From these nine nearest confluences, five was visited in the above-cited trips: the confluence located inside Federal District and the ones located at east, northeast, southeast and south.

There is, however, other already visited confluence: the 17S 49W one, located at southwest of Federal District. This confluence wasn’t previously cited because I didn’t visit it in a trip to Brasília, but in a trip to Goiânia, capital of Goiás state. The proximity of these two Brazilian capitals makes their nearest confluences overlap each other.

From nine confluences near Brasília, then, six was already visited. The remaining three are located at north, west and northwest of Federal District.

Back to the current visit, I caught a flight at Marabá city, at the dawn of Saturday to Sunday, and arrived at Brazil’s capital around 6:30. I had a breakfast, rented a car and went straight to 17S 48W confluence.

I caught BR-040 highway heading to south, I entered in Goiás state and, after around 130 kilometers, I arrived at Cristalina city, where I stopped to buy water. Then, I caught BR-050 highway, drove some tens of kilometers, turned right and started the long leg in dirt road, 39 kilometers long, heading to Buritizinho village.

The dirt road was in good condition, and without hardness I won this distance, which included the crossing of a bridge over Corumbá river. I stopped the car 520 meters close to the exact point. I crossed a barbed wire fence, entered in an area of low bush, easy to hike, won the remaining meters and got all GPS zeroes.

I made all the way back and stopped again in Cristalina, in this time to take a snack, replacing the lunch. I headed back to Brasília, delivered the car and caught a taxi to the hotel. I spent the rest of the afternoon and the night resting of barely slept night and of long hours of trip.

I spent the three following days in Brasília and, at night of day 19, Wednesday, I came back to Marabá.


 All pictures
#1: Visão geral - general view
#2: GPS
#3: Visão norte - north view
#4: Visão leste - east view
#5: Visão sul - south view
#6: Visão oeste - west view
#7: Trecho em estrada de terra - leg in dirt road
#8: Confluência 520 metros adiante - confluence 520 meters ahead
#9: Interessante imagem capturada no caminho - interesting image captured in the way
ALL: All pictures on one page